IRPAA - Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada

Viver no sertão é conviver com o Clima

Formulário de Busca

Siga-nos:

Notícias

Pequenos agricultores/as de Sobradinho sofrem com a falta d’água no canal da batateira

Pequenos agricultores/as  de Sobradinho sofrem com a falta d’água no canal da batateira

Se não houver nenhuma providência de imediato diante da falta de água que atinge mais de 50 famílias que utilizam a água do Canal da Serra da Batateira, em Sobradinho, os prejuízos serão incalculáveis. Tem produtor que há mais de 20 dias não consegue molhar sua plantação de goiaba, maracujá e manga. O problema que vem se agravando muito nos últimos quatro anos, chegou no seu limite agora em 2015 com a baixa do lago de Sobradinho que abastece o canal e que hoje está com cerca de 16% de sua capacidade.

A comunidade de Terra Nossa, onde moram 22 famílias que irrigam suas roças com a água do canal, é a mais afeta com o problema, segundo o agricultor José Carlos de Souza. Ele diz que já perdeu toda sua safra de goiaba e maracujá, e se os pés de manga vierem a morrer, seu prejuízo passará de 100 mil reais. A mesma situação é vivida pelo produtor Raimundo José, que já perdeu um hectare inteiro de goiaba pronta para colheita. Ambos lembram que se os irrigantes que ficam mais próximo do lago de Sobradinho desligassem suas bombas de irrigação ao menos nos finais de semana como já foi sugerido, a situação estaria mais tranquila. Porém, tanto Souza como Raimundo são enfáticos em dizer que o problema está sendo informado as autoridades locais, mas que ainda não apresentam qualquer sugestão.

Enquanto a solução não vem e a plantação morre de sede, os agricultores apelam aos governos municipal, estadual e até federal, citando o Ministério da Integração Nacional ou a Codevasf, para que esses ajam em conjunto em favor das famílias não só da Terra Nossa, como também da região de Fonte Viva e da Aldeia Truká que também sofrem com o problema. Souza diz que se o canal, que também fornece água para a Empresa Municipal de Saneamento (Ensae) responsável pelo abastecimento publico da cidade de Sobradinho, tivesse uma estrutura para operar quando o lago tivesse com o nível tão baixo como agora, a situação poderia ser diferente. Ele acredita que é possível ampliar a vazão de água que cai no canal por meio de bombas mais potentes. “Nos agricultores não podemos irrigar só com o resto de água que a Emsae usa para abatecer Sobradinho”, diz o produtor.

Falta água até para beber

Como se não bastasse o prejuízo com a perda da produção, a situação torna-se ainda mais gritante com a falta de água para o consumo humano, lembra a produtora Maria das Dores da Silva ao afirmar que os carros pipas fornecidos pela Prefeitura também não estão distribuindo água nesse momento porque estão priorizando as comunidades mais distantes. Isso faz com que algumas famílias se obriguem a comprar água dos donos de pipas, e que, enquanto as soluções não chegam, as famílias desta localidade tão próxima da Barragem de Sobradinho estão sem água até para beber.

Falta gestão da água do São Francisco

A chamada crise hídrica vem afetando todo o país. O problema de acesso a água que antes era visto como algo comum à região semiárida, agora estende-se para outras regiões do Brasil. A raíz de tudo isso, contudo, não está apenas na escassez de chuvas, mas sim na ausência ou má gestão das águas.

O Rio São Francisco serve hoje a diversos usos, dentre eles a irrigação. Esta problemática pela qual passam as famílias agricultoras da região de Sobradinho é apenas um exemplo do quanto é urgente uma ação mais incisiva de controle do uso da água do rio. A baixa da vazão do lago atende especialmente ao setor elétrico, trata-se de uma iniciativa da Chesf, com autorização da Agência Nacional de Águas – ANA, com vistas a garantir a geração de energia, porém sem considerar os demais usos que ficam prejudicados, principalmente os pequenos usuários, a exemplo de agricultores familiares, pescadores, barqueiros, etc.

De acordo com a Articulação Popular São Francisco Vivo, ou se rever as outorgas de águas existentes e limita a concessão de novas ou a situação do Velho Chico tende a piorar.
 

Texto e Foto: Comunicação Irpaa


Veja também

< voltar    < principal    < outras notícias

Página:

Pequenos agricultores/as de Sobradinho sofrem com a falta d’água no canal da batateira

Para:


Suas informações:



(500 caracteres no máximo) * Preenchimento obrigatório


Campanhas

Newsletters

Cadastre seu e-mail para receber notícias.

Formulário de Contato





Faça sua doação


Copyright © 2005 - 2009 IRPAA.ORG Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - IRPAA
Avenida das Nações nº 04 - 48905-531 Juazeiro - Bahia, Brasil
Tel.: 0055-74-3611-6481 - Fax.: 0055-74-3611-5385 - E-mail: irpaa@irpaa.org - CNPJ 63.094.346/0001-16
Utilidade Pública Federal, Portaria 1531/06 - DOU 15/09/2006 Utilidade Pública Estadual, Lei nº7429/99
Utilidade Pública Municipal, Lei nº 1,383/94 Registro no CNAS nº R040/2005 - DOU 22/03/2005