IRPAA - Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada

Viver no sertão é conviver com o Clima

Formulário de Busca

Siga-nos:

Notícias

Escola de Curaçá debate ação de mineradoras nas áreas de fundo de pasto

Escola de Curaçá debate ação de mineradoras nas áreas de fundo de pasto

"Foi uma aula diferente"; disse a estudante Maria das Dores, após a exibição de vídeos, palestras e apresentação de teatro que muito despertaram a atenção de estudantes, professores/as e funcionários/as da Escola Estadual José Amâncio Filho, em Curaçá, na noite desta terça-feira (24).

Essa aula tão diferente foi mais um momento de reflexão não somente sobre a importância das lutas e desafios enfrentados pelas comunidades de Fundo de Pasto do município, mas também, sobre a ação devastadora das mineradoras que, a cada dia, ocupam novas áreas rurais de Curaçá, destruindo a Caatinga, os solos, os animais, a água e prejudicam o modo de vida das famílias que vivem nessas áreas.

A presença das mineradoras e suas ações nas áreas de Fundo de Pasto em Curaçá vêm sendo discutida pelas associações rurais do município com o apoio da Paróquia, Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Sintraf), Irpaa, Pastoral do Meio Ambiente e, mais recentemente por artistas e estudantes, principalmente agora quando o país assiste o maior desastre social e ambiental da história provocado pela Mineradora Samarco em Minas Gerais.

Após as palestras e exibição de um vídeo sobre o desastre e prejuízos que a mineração provocou em Paracatu também em Minas, houve uma apresentação de teatro que falou do perigo e riscos das mineradoras e da necessidade das comunidades fazerem seu auto reconhecimento enquanto comunidades de Fundo de Pasto como forma de assegurar a permanência na terra e lutar contra todo tipo de ameaça que chegam nessas comunidades.

“Por causa das mineradoras nós não estamos mais com a Caatinga natural, mesmo com o reflorestamento que eles dizem que faz, não vai ser igual (...), e as serras não ficam mais natural. Em Serra da Canabravaninha, já perfuraram a serra em quatro lugares, disse estudante Maria das Dores, preocupada ainda com a questão da oferta de empregos trazida por esses empreendimentos. Ela completa:  "por mais que eles tragam empregos a natureza só vai cada vez mais se destruir".

O Vigário de Curaçá, padre João Sena, disse que a Igreja não pode estar fora desse tipo de discussão que busca a conscientização das pessoas para um problema que vem agredindo a natureza - obra de Deus oferecida a homem a mulher para que eles cuidem e não destruam. O Vigário lembra que na bíblia Deus disse: “Não façam nenhum mal a terra nem ao mar”, um versículo que diz muita coisa e que muito inspira a ação da igreja especialmente nesse momento tão difícil para o povo.

Foto/Texto - Comunicao Irpaa


Veja também

< voltar    < principal    < outras notícias

Página:

Escola de Curaçá debate ação de mineradoras nas áreas de fundo de pasto

Para:


Suas informações:



(500 caracteres no máximo) * Preenchimento obrigatório


Campanhas

Newsletters

Cadastre seu e-mail para receber notícias.

Formulário de Contato





Faça sua doação


Copyright © 2005 - 2009 IRPAA.ORG Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - IRPAA
Avenida das Nações nº 04 - 48905-531 Juazeiro - Bahia, Brasil
Tel.: 0055-74-3611-6481 - Fax.: 0055-74-3611-5385 - E-mail: irpaa@irpaa.org - CNPJ 63.094.346/0001-16
Utilidade Pública Federal, Portaria 1531/06 - DOU 15/09/2006 Utilidade Pública Estadual, Lei nº7429/99
Utilidade Pública Municipal, Lei nº 1,383/94 Registro no CNAS nº R040/2005 - DOU 22/03/2005