IRPAA - Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada

Viver no sertão é conviver com o Clima

Formulário de Busca

Siga-nos:

Notícias

Agrodiesel - o perigo para a saúde

Agrodiesel - o perigo para a saúde

 

http://www.wissenschaft-online.de/artikel/1031769
acessado em 20/5/2010
 
A química de combustão dos biocombustíveis: do etanol ao biodiesel
 
Os "biocombustíveis" são muito questionados, já que seu plantio concorre com a produção de alimento ou então são destruídos sistemas ecológicos naturais. O que é que liberado na queima de etanol ou biodiesel, os cientistas até agora praticamente não pesquisaram. Katharina Kohse-Höinghaus da Universidade de Bielefeld na Alemanha e seus colegas querem mudar isto. Eles se dedicaram pela primeira vez aos processos de queima dos combustíveis alternativos e seus produtos de combustão.
 
Em geral os agro combustíveis são quimicamente muito heterógeneas, já que sob este conceito genérico são reunidos alcoóis, esteres, éter, e alguns compostos químicos nitrificados, que queimam de maneiras mais diversas. Só na queima do Biodiesel que pode ser produzido através de transesterificação do azeite de colza ou de soja com metanol, ocorrem cerca de 35.000 reações químicas diversas com muitos subprodutos, intermediários e finais.
 
Muitos destes compostos químicos foram examinados pela equipe de Bielefeld, através de análise laser espetroscópica e de espectrometria de massa, para averiguar, como a estrutura das moléculas dos combustíveis influenciam a composição dos poluentes. Ao contrário dos produtos de petróleo, objeto de pesquisa há décadas, os cientistas da química relativamente pouco sabem sobre os caminhos reativos durante a combustão.
 
Comparado com as fontes energéticos fosseis tradicionais, a implementação de muitos agro combustíveis produz menos fuligem, que, no caso do diesel comum, surge em grandes quantidades por causa da incompleta combustão e precisa ser captado através de micro filtros. Porém se formam significativamente mais compostos carbonila, críticos relativos à saúde, como o cancerígeno formaldeído ou o acetilaldeído prejudicial ao fígado. A estes se juntam outros aldeídos, acetona ou outros cetonas em concentrações maiores.
 
Kohse-Höinghaus percebe especialmente o uso de Biodiesel de maneira crítica, que apresenta um estrutura química muito complexa, enquanto o etanol e butanol quimicamente mais simples, queimam relativamente mais limpos. O que agrava é o fato que o biodiesel muitas vezes é misturado ao diesel normal, multiplicando mais a diversidade de compostos químicos e acrescentando ainda mais reações químicas. Os pesquisadores alertam que os agro combustíveis, em frente a este pano de fundo, devem ser avaliados de maneira crítica e não unicamente sob o aspecto econômico e da viabilidade técnica.
 
Traduzido por
Haroldo Schistek
irpaa at irpaa.org

 


Veja também

< voltar    < principal    < outras notícias

Página:

Agrodiesel - o perigo para a saúde

Para:


Suas informações:



(500 caracteres no máximo) * Preenchimento obrigatório


Campanhas

Newsletters

Cadastre seu e-mail para receber notícias.

Formulário de Contato





Faça sua doação


Copyright © 2005 - 2009 IRPAA.ORG Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - IRPAA
Avenida das Nações nº 04 - 48905-531 Juazeiro - Bahia, Brasil
Tel.: 0055-74-3611-6481 - Fax.: 0055-74-3611-5385 - E-mail: irpaa@irpaa.org - CNPJ 63.094.346/0001-16
Utilidade Pública Federal, Portaria 1531/06 - DOU 15/09/2006 Utilidade Pública Estadual, Lei nº7429/99
Utilidade Pública Municipal, Lei nº 1,383/94 Registro no CNAS nº R040/2005 - DOU 22/03/2005