IRPAA - Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada

Viver no sertão é conviver com o Clima

Formulário de Busca

Siga-nos:



Notícias

Pesquisas sobre qualidade da alimentação são apresentadas em Juazeiro

Pesquisas sobre qualidade da alimentação são apresentadas em Juazeiro

Representantes do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional da Bahia – Consea e do Conselho Municipal de Juazeiro, do Sasop, Irpaa, do Núcleo Sertão Agroecológico, Associação de Técnicos e Técnicas Apoiadores/as da Agricultura Familiar, Uneb e Central da Caatinga, participaram nesta quinta (14) de uma Seminário para socialização de resultados preliminares de pesquisas voltadas para qualidade da alimentação.

O evento aconteceu na sede do Irpaa, em Juazeiro, onde inicialmente as/os participantes conheceram e discutiram os resultados iniciais de uma tese de doutorado desenvolvida pela pesquisadora Lidiane Fernandes e seu orientador Remato Maluf, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. A tese estuda o abastecimento alimentar e a interação entre os sistemas alimentares, a partir do tema “O acesso à 'comida de verdade' no sertão nordestino”, tendo a região de Juazeiro como locus da pesquisa. O momento foi considerado como uma devolutiva prévia para os sujeitos envolvidos na pesquisa.

Tendo em vista que existe um sistema alimentar mundial que busca padronizar os hábitos, garantindo assim a existência da indústria alimentícia, o estudo se volta para as possibilidades de interação entre sistemas alimentares global versus local, agroindustrial versus tradicional. Para isso, analisa paisagens, dinâmicas/mercados, políticas e cardápios, evidenciando os conflitos e as sinergias envoltos no processo de acesso à alimentação na região. O estudo também evidencia a importância de questionar a origem do alimento, considerando principalmente a qualidade do mesmo, o que é identificada conforme aspectos como: ser saudáveis, respeitar a cultura regional, valorizar a cultura local e causar menos impactos ambientais possíveis.

Como resultados parciais, a tese aponta, dentre outras observações: a situação onde muitos/as agricultores/as comercializam sua aprodução agroecológica porém não consomem; a elitização dos produtos de maior qualidade; a “gourmetização” de produtos locais por meio do turismo local. De acordo com o professor Renato Maluf, a questão orientadora da pesquisa busca saber se o movimento alimentar pela valorização da cultura está promovendo o acesso a “comida de verdade” na região de Juazeiro, questionando também para quem está sendo garantido esse acesso. O conceito de “comida de verdade” também é discutido ao longo do trabalho, uma expressão que foi bastante explorada a partir da 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, realizada em 2017, que trazia como tema “Comida de verdade no campo e na cidade: por direitos e soberania alimentar”.

Para José Moacir dos Santos, presidente do Consea BA, a sistematização desses elementos é algo importante para fortalecer o debate que já vem sendo feito no país e na região, especialmente por se tratar de metodologias que envolvem os sujeitos na discussão e avaliação das experiências e políticas públicas existentes com relação ao tema. Ele diz que um importante benefício “é a gente se apropriar dessa metodologia e ter mais uma ferramenta para conhecer nosso território”.

Avaliação de Sistemas Alimentares

Com a intenção de promover um diálogo com a Universidade de Berna, na Suíça, no segundo momento foi apresentado um projeto da referida Universidade, pesquisa que é fruto da percepção do governo de que, em consequência de crises no país, o encarecimento dos alimentos havia se tornado um problema que poderia desencadear em um caos social incontrolável. A partir do interesse do país em estudar sistemas alimetares sustentáveis, a pesquisa, iniciada há três anos, tem como base seis sistemas alimentares na Bolívia (América Latina) e Quênia (África) e tem como um dos objetivos aperfeiçoar o Marco para a Evolução da Sustentabilidade Alimentar nesses países e em outros para onde a pesquisa se expande na fase atual. Promover incidência política em nível de América Latina, África e Suíça, com vistas a construir uma rede global de sustentabilidade alimentar, constitui-se também como um dos objetivos da pesquisa.

“Trabalhamos em seis sistemas alimentares, desenvolvemos o marco teórico e metodológico. Para aplicação desse projeto nós escolhemos outros sistemas em outros países, um dos países é o Brasil”, adianta Adriana Bessa, pesquisadora da Universidade de Genebra, que é parceira da Universidade de Berna nesse projeto.

As/os representantes das duas Universidades envolvidas nessas pesquisas também tiveram a oportunidade de visitar a experiência de produção de alimentos da região de Areia Grande, em Casa Nova (BA), conhecendo também o modo de vida tradicional Fundo de Pasto. No momento puderam perceber as potencialidades e principais desafios que perpassam a discussão acerca da sustentabilidade alimentar e nutricional no Semiárido, garantindo, ao mesmo tempo, agregação de valor e geração de renda de forma descentralizada, tendo por base a economia solidária e de base familiar.

Ao final do encontro, um dos encaminhamentos foi a definição de que a região de Areia Grande, que envolve quatro comunidades, será mais um dos locais da pesquisa desenvolvida pela Universidade de Berna, buscando identificar elementos que podem inovar a produção de alimentos a partir das experiências que as comunidades já possuem. Outras áreas, a exemplo de regiões irrigadas também foram sinalizadas como locais onde a pesquisa pode realizar as observações.

 

Texto e fotos: Comunicação Irpaa


Veja também

< voltar    < principal    < outras notícias

Página:

Pesquisas sobre qualidade da alimentação são apresentadas em Juazeiro

Para:


Suas informações:



(500 caracteres no máximo) * Preenchimento obrigatório




Campanhas

Newsletters

Cadastre seu e-mail para receber notícias.

Formulário de Contato





Faça sua doação


Copyright © 2005 - 2009 IRPAA.ORG Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - IRPAA
Avenida das Nações nº 04 - 48905-531 Juazeiro - Bahia, Brasil
Tel.: 0055-74-3611-6481 - Fax.: 0055-74-3611-5385 - E-mail: irpaa@irpaa.org - CNPJ 63.094.346/0001-16
Utilidade Pública Federal, Portaria 1531/06 - DOU 15/09/2006 Utilidade Pública Estadual, Lei nº7429/99
Utilidade Pública Municipal, Lei nº 1,383/94 Registro no CNAS nº R040/2005 - DOU 22/03/2005