IRPAA - Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada

Viver no sertão é conviver com o Clima

Formulário de Busca

Siga-nos:



Software Livre

26.10.2011

Envie por e-mail

LibreOffice é o mais novo rival do Office

LibreOffice é o mais novo rival do Office


O pacote de programas de escritório Libre Office é composto por editores de texto, de planilha e de fórmulas matemáticas, além de ferramentas de desenho, de apresentações e de banco de dados
Pacote de programas gratuitos chega com mais liberdade para incorporar recursos e atualizações

A comunidade de usuários simpatizantes da causa do software livre tem novidade para instalar em seu computador. Já está disponível para download gratuito a primeira versão estável do pacote de programas de escritório LibreOffice, um novo concorrente do Office, que surgiu de uma dissidência dentro do projeto do OpenOffice.org - até então o maior rival dos aplicativos da Microsoft.

O LibreOffice 3.3, lançado pela organização sem fins lucrativos The Document Foundation (TDF), tem como desenvolvedores os mesmos criadores do OpenOffice.org, um projeto de software livre mantido pela empresa Oracle. Sentindo a necessidade de maior liberdade para incorporar mudanças que, sob a tutela da empresa Oracle, eram mais difíceis de serem implementadas no OpenOffice.org, o grupo decidiu sair da empresa e lançar sua própria suíte de aplicativos para escritório.

Assim, o pacote LibreOffice 3.3 - que inclui programas como editores de texto, planilha e apresentação, entre outros -, já vem com novos recursos que antes precisavam ser instalados separadamente no OpenOffice.org. Um desses recursos é a possibilidade abrir documentos no formato PDF.

O projeto do OpenOffice.org continua sendo mantido pela Oracle. Mas, sem causar polêmica ou mesmo rivalidade - a Oracle foi convidada para participar da TDF, inclusive -, o novo projeto da fundação está sendo bem recebido pela comunidade de usuários e por empresas de tecnologia. A Canonical já incluiu o LibreOffice na nova versão de seu sistema operacional Ubuntu. A Google também manifestou seu apoio e informou que vai participar do projeto.

"Estamos animados. É nossa primeira versão estável e, portanto, estamos ansiosos pelo retorno dos usuários, que será integrado tão logo seja possível, dentro do código, com as primeiras melhorias sendo liberadas em fevereiro. A partir de Março, migraremos para uma agenda de versões baseada em tempo real, previsível, transparente e pública, de acordo com o desejo do Comitê Gestor de Engenharia e com as solicitações dos usuários", afirma Caolan McNamara, da distribuição RedHat, um dos líderes da comunidade de desenvolvedores.

O futuro do BrOffice

A chegada do LibreOffiece pode criar expectativas também entre os usuários da versão brasileira do OpenOffice.org, batizada de BrOffice. O software livre brasileiro vem ganhando importância ao ser adotado por muitos órgãos de governo e, por isso, virou até tema de estudo para concursos por cargos públicos. A novidade agora é que o BrOffice também vai seguir ao software da The Document Foundation.

O consultor de informática Lucas Filho recomenda a adoção do novo pacote de programas. "O LibreOffice é o futuro do BrOffice", justifica. Para quem deseja utilizar o novo software - que na instalação oferece a opção de interface em português -, o consultor diz que é possível adicionar as mesmas ferramentas de verificação e correção ortográfica em português disponíveis no BrOffice. O próprio site do projeto brasileiro (http://www.broffice.org) já oferece a versão 3.3 do pacote de programas, com o selo da Document Foundation.

SOLUÇÕES MAIS PRÁTICAS
Programa traz recursos exclusivos

O pacote de programas LibreOffice 3.3 traz várias funcionalidades exclusivas em relação ao OpenOffice.br. Entre os principais recursos, estão a capacidade de importar e manipular arquivos no formato SVG; mais facilidade para formatar páginas de título e soluções de paginação e navegação mais úteis no editor de textos Writer, além de melhorias no programa Calc para o gerenciamento de planilhas e células.

Os programas do pacote também incorporaram várias extensões - que no OpenOffice.org precisavam ser instaladas separadamente. Assim, o LibreOffice traz novidades como importação de arquivos PDF e um painel de apresentação de slides.

Além disso, o software oferece todas as novas funcionalidades do OpenOffice.org 3.3, como a incorporação de fontes PDF padrão em documentos PDF, a proteção melhorada em documentos do Writer e do Calc e a possibilidade de usar 1 milhão de linhas em uma planilha. O programa também permite a inserção de objetos nas planilhas e o uso de abas coloridas para cada uma delas.

O consultor Lucas Filho explica que a possibilidade de importar arquivos SVG (gráficos vetoriais escaláveis) permite ao usuário trabalhar com gráficos vetoriais, podendo editá-los dentro do programa. "Assim, é possível ampliar e reduzir os gráficos sem perda de qualidade", destaca o consultor.

Solução portátil

O LibreOffice 3.3 também foi lançado em versão portátil. Com ela, os aplicativos do LibreOffice funcionam diretamente de um pen drive USB, para que o usuário possa contar com um processador de texto, planilha eletrônica, ferramenta de apresentação, banco de dados e programa de desenho em qualquer PC, sem a necessidade de instalação.

O LibreOffice portátil está disponível para download imediato gratuitamente em www.libreofficeportable.org. ou pt-br.libreoffice.org/baixe-ja/

Já a versão normal pode ser obtida nos sites http://www.libreoffice.org e http://www.broffice.org.

< voltar




Campanhas

Newsletters

Cadastre seu e-mail para receber notícias.

Formulário de Contato





Faça sua doação


Copyright © 2005 - 2009 IRPAA.ORG Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - IRPAA
Avenida das Nações nº 04 - 48905-531 Juazeiro - Bahia, Brasil
Tel.: 0055-74-3611-6481 - Fax.: 0055-74-3611-5385 - E-mail: irpaa@irpaa.org - CNPJ 63.094.346/0001-16
Utilidade Pública Federal, Portaria 1531/06 - DOU 15/09/2006 Utilidade Pública Estadual, Lei nº7429/99
Utilidade Pública Municipal, Lei nº 1,383/94 Registro no CNAS nº R040/2005 - DOU 22/03/2005